Três Provas

É um dos critérios de julgamento e avaliação da validade de uma religião, estabelecido por Nichiren Daishonin. São a prova documental, a prova teórica e a prova real.
Prova documental refere-se às escrituras e aos documentos nos quais se baseia determinada doutrina ou religião. É também o meio para verificar se os ensinamentos propagados estão de acordo com essas escrituras. Assim, para uma escola budista, a prova documental indica em quais sutras sua doutrina se baseia. Em diversas passagens das escrituras, Daishonin salienta a importância da prova documental. 
Na escritura Ensinamento, Prática e Prova, Daishonin afirma: “Todos recitam o Nembutsu e louvam o buda Amida; porém, questione seus opositores, como da outra vez, se existe algum ensinamento que forneça uma sólida base para essa prática. Em síntese, peça-lhes para citar o nome do sutra ou tratado em que os adeptos da escola Nembutsu, na China e no Japão, se baseiam para argumentar que o Sutra do Lótus é uma prática secundária e exortar às pessoas a descartar, fechar, ignorar e abandonar esse sutra. Caso não consigam citar nenhum trecho que valide essas declarações de forma clara, diga-lhes que, exatamente como expõe o capítulo “Analogia e Parábola”, do Sutra do Lótus, o grave crime que cometem ao caluniar o ensinamento verdadeiro com base nos ensinamentos provisórios com certeza os arrastará para a grande cidadela do inferno Avichi, onde renascerão repetidas vezes durante incontáveis kalpa” (CEND, v. I, p. 498). 
Em Diálogo entre um Venerável e um Homem Não Iluminado consta: “Porém, no que diz respeito às doutrinas budistas, não podemos formular conclusões apressadas tomando unicamente como base a proe­minência das pessoas em questão. Antes de tudo, devemos considerar as palavras dos sutras” (Ibidem, p. 112). Nessa mesma escritura, também consta: “O grande mestre Tiantai ressalta: ‘Deve-se registrar e tornar conhecido o que possuir uma profunda doutrina e estiver de acordo com os sutras. Mas não acredite naquilo que não possua uma profunda doutrina e que não esteja de acordo com os sutras, tanto em palavras quanto em significado’. Isso significa que devemos aceitar o que está claramente explicado no texto dos sutras, e descartar tudo que não esteja fundamentado nesses escritos. O grande mestre Dengyo disse: ‘Baseie-se nos ensinamentos do Buda, e não deposite fé em tradições transmitidas oralmente’” (Ibidem, p. 113).
Prova teórica indica se a doutrina religiosa é compatível com a razão e a lógica. Em outras palavras, é um critério para se avaliar a validade e a universalidade de um ensinamento. Portanto, é o processo utilizado para examinar se suas ideias são universais, se estão de acordo com o raciocínio lógico, se são compatíveis com a realidade verificável e se não contradizem as teorias científicas comprovadas.
Prova real indica se o conteúdo da doutrina é confirmado pelo resultado real quando posta em prática. Portanto, a prova real refere-se aos resultados reais obtidos na vida diária e na sociedade a partir da prática de um ensinamento. 
Nas escrituras, Nichiren Daishonin declara a importância da prova real quando comparada às demais provas. Em Três Mestres Tripitaka Oram por Chuva, ele revela: “Ao julgar os méritos relativos das doutrinas budistas, eu, Nichiren, acredito que os melhores critérios são aqueles da razão e da prova documental. E ainda mais importante que a razão e a prova documental é a prova real” (Ibidem, p. 626). Na escritura Ensinamento, Prática e Prova, Daishonin diz: “Nada é mais certeiro que a prova real” (Ibidem, p. 499).
Enfim, somente um ensinamento que possui as três provas pode ser considerado como a verdadeira Lei. Nos Últimos Dias da Lei, o budismo de Nichiren Daishonin comprova todas as três provas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário